Destinos

Canadá e EUA: os destinos preferidos para estudantes

9 de fevereiro de 2019

Em 2019, o pódio dos países mais procurados por alunos interessados em desenvolver um outro idioma é formado por Canadá (34,48%), Estados Unidos (13,93%) e Inglaterra (9,92%). A Austrália (9,71%) segue de perto os segundo e terceiro colocados, com o Top 5 sendo completado pela Irlanda (8,30%). A pesquisa e da rede de intercâmbio, World Study.

“Ter uma boa fluência no inglês continua sendo um importante diferencial no mercado de trabalho, bem como a experiência internacional. Isso, logicamente,  explica a forte procura por países que têm o inglês como idioma principal. O Canadá se destaca por ser um país bastante receptivo, está entre os melhores para se viver e tem a favor também a moeda, o Dólar canadense, que é mais acessível e também o fato de ser mais flexível com os estrangeiros interessados em aliar estudo e trabalho”, analisa Thiago España, CEO da World Study. “Num cenário em que muitas pessoas desejam um destino em que haja essa possibilidade de trabalhar paralelamente aos estudos, a World Study desenvolveu um programa de intercâmbio exclusivo, o TRUE Canada, que dá direito ao Working Holiday Visa, um tipo de visto que dá direito a um ano de permissão de trabalho no Canadá”, acrescenta España.

Já a importante procura pelos Estados Unidos como destino para intercâmbio, de acordo com o executivo da World Study, está mais associada a uma identificação cultural do brasileiro. “Por muito tempo, ao pensarmos em intercâmbio, o primeiro destino que vinha em mente, era os Estados Unidos. Além disso, o ideal do sonho americano ainda é muito vivo em diversas famílias, assim como conhecer a cultura que tanto vemos nos filmes e séries e é disseminada no mundo inteiro. Vale dizer ainda que o país oferece uma pluralidade de experiências, seja em clima, paisagens ou atividades”, destaca Thiago España.

Fora do Top 5 de destinos mais visados em 2019 na World Study, mas ainda assim com uma demanda interessante, está a Coreia do Sul, com 5,49% do total de programas de intercâmbio fechados para o novo ano. “A Coreia do Sul é um fenômeno. Muita gente escolhe esse destino pela identificação com a cultura pop, a chamada K-Pop, com tantas bandas sul-coreanas que fazem sucesso mundial entre os jovens, mas também estamos falando de um país moderno, em franco desenvolvimento tecnológico e com uma história milenar riquíssima”, diz o CEO da World Study.

Adultos jovens (26 a 35 anos) são maioria em intercâmbios no Canadá e Austrália

O levantamento feito pela World Study também contemplou a idade dos alunos que fecharam programas para 2019. Em todos os destinos de destaque (Top 5 e a Coreia do Sul), a parcela que mais se sobressai é a de alunos jovens, entre os 19 e 25 anos. No entanto, os adultos jovens – aqueles com idade entre 26 e 35 anos – se tornam maioria nos intercâmbios para o Canadá e Austrália – 40% e 52,17% do total, respectivamente.

“Tanto Canadá quanto Austrália são mais abertos à possibilidade de estudar e trabalhar e, nesta faixa etária entre 26 e 35 anos, este é um fator fundamental para a predominância de alunos considerados adultos jovens. A decisão pelo programa de intercâmbio e todas as possibilidades em torno dele tem muito a ver com o momento em que a pessoa se encontra na vida e a experiência que ela está buscando”, esclarece Thiago España.